domingo, setembro 21, 2008

Uma blogueira, uma história

Miriam e Rubens tem uma linda história para contar, bem daquelas que você olha com AMOR e logo oferece aos dois um forte sorriso.

São casados a mais de 11 anos e em 2002 optaram pela adoção. Juntos fizeram a coisa certa em 'NÃO ESCOLHER'. Queriam ser pais somente ( ponto ).
Miriam tem traços oriental. Seu marido não.
É uma mulher de garra que precisava ser mãe. Em oração, cada um deles, a sua maneira entregou tudo nas mãos de Deus, fazendo apenas um pequeno pedido : Senhor, chegou nossa hora de sermos pais. Se puder - só se puder mesmo - nos manda 2 filhos de uma só vez.

Pronto.
Foi o passo para o começo de uma história.
Daqui, eu e a Lica abrimos nosso espaço pra VOCÊ que vai nos fazer entender o verdadeiro sentido da vida, o ator de amor e doar-se.
Mas uma vez, de coração agradecemos o carinho de aceitar nosso convite.

-------

Adoção Tardia
Eu fiquei imensamente feliz com o convite, muito obrigada Jê e Lica! Vou contar a minha história à vocês e como foi a nossa busca e o encontro com os nossos filhos.
Como a maioria dos casais, queríamos ter filhos. Após alguns tratamentos necessários, fomos encaminhados a uma clínica, e decidimos fazer uma fertilização “in vitro”, por ser a única que poderia trazer algum sucesso. Após alguns meses, e depois de muita ansiedade, veio a decepção: a gravidez não ocorreu. A dor foi muito grande, tanto física, quanto psicologicamente.

Então, a partir daí, em julho de 2002, decidimos pela adoção. Iniciamos toda a parte burocrática com a juntada de documentos, visita da assistente social, entrevista com a psicóloga, etc. O processo foi habilitado em dezembro de 2002.
No ano de 2003, começamos a enviar uma cópia do nosso processo para várias comarcas de vários estados, enviamos cerca de 25 a 30 cópias. A única coisa que nos restava fazer era esperar para sermos chamados pela justiça. Essa espera pode demorar. Foi uma fase muito difícil. Fazíamos muitas orações, pedindo a Deus que nos orientasse e nos revelasse o caminho que Ele nos escolheu.

Em 2004, mais exatamente no final de abril, navegando pela internet, descobri o site “Planos de Deus” e fiquei muito animada com tudo que li, com a disposição das pessoas em ajudar umas às outras. Essas pessoas foram fundamentais para que saíssemos da passividade que nos encontrávamos.
Na mesma semana, avisamos parentes e amigos que estávamos iniciando o enxoval, começamos a mudar o quarto que estava reservado para nosso filho. Foi uma sensação inexplicável, tinha a certeza que o nosso filho estava a caminho. Deus, mais uma vez, estava manifestando em nossos corações.

A primeira peça que comprei foi um Anjo da Guarda e coloquei na entrada do quarto. O Anjo estava ali para proteger e receber com muito carinho o nosso tão sonhado e desejado filho. Começamos o mês de maio com novas perspectivas. Eu, no Dia das Mães, já me sentia mãe, apesar de não haver nenhuma novidade. Não dá para explicar, mas Deus já estava me preparando.
Vou fazer um parênteses aqui. Quando eu e meu marido preenchemos aquele longo formulário no fórum sobre as características da criança, se aceitávamos gêmeos ou irmãos, etc... Nós decidimos que aceitaríamos irmãos, com, no máximo 2 anos de diferença ou gêmeos. Mas, não escolhemos sexo ou raça, somente abrimos nossos corações e os entregamos nas mãos de Deus.

Assim, no dia 18 de maio, recebemos um telefonema perguntando se estaríamos interessados na adoção de 2 irmãos, uma menina com mais de 2 anos e um bebê de 4 meses. Fiquei muito feliz e prontamente dissemos que gostaríamos de estar com estas crianças. Mas, a confirmação para ir ao encontro delas, só veio no dia 22 de maio (sábado à noite) e no domingo estávamos a caminho delas, pois a viagem era bastante longa. Enfrentamos chuvas e tempestades na estrada, pois nunca havíamos estado ali antes; mas, mesmo assim, não senti medo algum, sentia que Deus estava conosco protegendo e iluminando nosso caminho.

No dia 24 de manhã, conhecemos nossos filhos. Mateus estava fazendo exatamente 5 meses naquele dia. Foi maravilhoso! Dayane veio ao nosso encontro, um pouco tímida, mas com um sorriso lindo. E o Mateus veio, de imediato, para o meu colo. Desde esse dia, não nos separamos mais. Passamos 15 dias nesta cidade, com visita de assistente social e psicóloga no hotel e no dia 4 de junho conseguimos o termo de guarda provisória. Logo em seguida, retornamos a nossa cidade. Foram 15 dias de muita angústia e ansiedade, longe de tudo: pais, amigos, da nossa casa. Mas, que, no final, voltamos para casa com uma família nova, completa e feliz dentro do carro.

Sabe como descobri que eles são meus verdadeiros filhos? No dia em que não conseguia mais imaginar a minha vida sem eles. E, sabe quando isso aconteceu? Desde o primeiro dia que passamos com eles. Soubemos que as crianças eram nossos filhos assim que as vimos. Não há explicação para isso, são realmente “Planos de Deus”.

Hoje, passados mais de 4 anos, podemos dizer que somos e continuamos sendo uma família muito feliz e realizada com as bênçãos de Deus em nossas vidas.

Tenho um blog para compartilhar o nosso dia-a-dia, a nossa experiência e o nosso aprendizado como pais. Sinto-me uma pessoa privilegiada, pois Deus nos presenteou com uma adoção tardia, entre irmãos e inter-racial. Isso é maravilhoso e fascinante, vocês não acham?
Quero me colocar a inteira disposição no que vocês precisarem e também para trocar experiências e informações. Contem sempre comigo!

Miriam ( Família Feliz )

14 comentários:

Geraldine disse...

Que lindo, estou emocionadíssima por aqui, mais uma vez certa de que Deus é mesmo maravilhoso e providencia todas as nossas necessidades de um modo único, singular. Um abraço!

Anónimo disse...

Olha me emocionei com o seu relato, e mais uma vez vemos que o nosso Deus foi, é e será sempre misericordioso, atento as nossas necessidades, que houve as nossas oraçoes.Deus seja com sua familia e com todas nos.
Patricia -BH

Filipa disse...

Que história de vida linda! Estou super emocionada com o que acabei de ler. Muitas felicidades para a Miriam e sua família! Que tudo continue a correr bem e que sejam muito felizes.

beijinhos

Vivian disse...

Parabéns por ter sido escolhida por essas duas crianças. Todos vcs merecem uma família e ser feliz assim

Batata Frita® disse...

Que história linda! Também é um sonho que eu tenho, um dia adoptar uma criança. Há tantas no mundo a precisar de uma família. Beijocas fofas, Lica

Batata Frita® disse...

Beijocas para ti também Jê

Cláudia disse...

Lindo depoimento de fé e amor. Uma família bem aventurada. Em Salmos 37.4-5 diz:
"Deleita-te também no Senhor e te concederá os desejos do teu coração. Entrega teu caminho ao Senhor; confia Nele, e Ele tudo fará."


bjs a esta linda família que compartilhou conosco esta linda história, a você amiga Lica e a Jê!

lucy disse...

Sempre vejo o blog , hj me surpreendi quando começei a Ler .... estou muito emocionada !! Que linda essa historia e ainda com o final maravilho ! Deus lhe protejam sempre !
Abraços
Luciana

Gourmandise disse...

Isso é saber dividir o amor com o mundo.
Muitas amigas minhas sonham em ter filhos para dar continuidade ao sobrenome e ter com quem contar na velhice. Mas este casal não é nada egoista.
Existem pessoas que têm a oportunidade de crescer e pensar no mundo.
Nem todos nasceram para serem pais, para educar uma criança para o mundo, para a vida. Não é quem dá a luz, mas quem ensina a viver.

bjos.

Larissa disse...

Elianaaaaaa, cade vc??? Posta aí!!!
Queremos ver comidinhas!

Donna Dani disse...

Lica, tem uma surpresa para você na Casa de Farinha, mas se você já recebeu a intenção foi boa.
Bjks

Elaine Jardim disse...

Que Historia linda! Emocionei :)

Marcia disse...

Lica, que coisa bonita. Sempre foi uma meta minha que não realizei, adotar crianças. Como já tinha 2 filhos quando me inscrevi num programa, pedindo por uma menina que fosse parecida com os meus. Depois aconteceu eu me separar e interromper o processo. No segundo casamento, nem pensar, então. . . fiquei com meus 2 filhos homens mesmo. E está tudo bem, mas teria sido bom uma menininha claaaro.
Que bom que está tudo bom. Fiquei muito feliz com seu depoimento.
bjos

lulu disse...

lica, também tenho uma filhinha do coração, aliais toda minha familia. ela é benção de Deus. O maior presente que eu pude receber. Nós pais de adoção somos escolhidos por estas crianças e abençoados também. Nem eu e meu marido coseguimos viver sem apresençã dela. bjs
Que Deus te abençoe.