quarta-feira, janeiro 31, 2007

Trouxinha de alface ( Comidas da Memória )

Quando vi a chamada da Valentina achei um barato, mas fiquei pensando se devia ou não participar pois eu não tenho muitas lembranças de infância, sou filha de pais separados e só vim conhecer a minha mãe a um ano atras, vi que todas vocês consultaram suas mamães. Eu resolvi ir por algo que me marcou quando pequena que são essas trouxinhas visto que não tinha a quem perguntar, pois fui criada pela minha avó e ela já está com papai do céu. Essas trouxinhas são ótimas para serem servidas para crianças, pois você pode colocar dentro o que sua imaginação mandar. Eu fui de uma misturinha de arroz branco, milho verde natural já cozidinho, cenoura ralada, salsinha, carne moída refogada, grãos de feijão (sim é apenas o grão sem o caldo) e pedacinho de banana frita misture tudo isso e coloque sobre a folha de alface já lavada e feche como uma trouxinha e amarre com cebolinha que foi passada na água quente e depois levou um susto na água gelada. Valentina através da sua idéia ficamos sabendo de lindas histórias e conhecendo muitas receitas boas, obrigada!
* Trouxinha antes de ser fechada.

28 comentários:

Anónimo disse...

Oi amiga, que delícia esta tortinha, minha mãe fazia... era bom demais! E fiquei emocionada com sua história... Beijão.

Anónimo disse...

Essa sua história de infância deixou-me triste, querida Eliana. Bem, agora você tem uma família linda. É o que conta mesmo. :-)

Essas sua trouxinhas são lindas.

Beijinhos carinhosos de Portugal.

Dadivosa disse...

Eliana, essa trouxinha com um pouco de cada coisa e bem amarradinha remete mesmo à infância. Eu adorava fazer isso!
Aproveito para falar que seu querubim terá sérios problemas com comidas de infância... pois são tantas coisas lindas, tantos pratos carinhosos e tantas demonstração de afeto que ficará difícil escolher uma só!
Sua família tem o privilégio de tê-la por perto, e isso transforma qualquer começo diferente ou mais difícil num caminho gostoso e aconchegante :D

beijos

Fezoca disse...

Eliana, que coisinha mais fofinha!! :-)
Eu tenho memorias de infancia, mas elas nao sao tao boas, eu nao gostava de comer, acho! :-) Adorei a sua lembranca. beijao!! :-)

Anónimo disse...

Eli,

Que bom você ter participado!
Estas trouxinhas tem tanta coisa boa dentro!

Amiga, sei o que é crescer sem mãe e não desejaria isso nem a um inimigo.

Fiquei feliz com o comentário que vc deixou pra mim - o que importa é que vc transforma toda essa falta em amor e carinho e dá isso ao Raphinha.

Um beijo!

goretti disse...

Fez muito bem em participar. E para variar, está muito bonito o seu prato! Além do que deve ser muito saboroso. E, como parece que a sua vida tem demonstrado, pois agora tem uma família feliz, Deus nunca fecha uma porta, sem que antes abra uma janela!
Beijinho e como

Anónimo disse...

Eliana, eu sei o quanto faz falta a presença da mãe. Eu perdi a minha muito cedo, vítima de câncer.
Mas o que importa é o presente, como todas as meninas já disseram aqui. Todas nós temos certeza que aprendeu bem o conceito de família, já que é uma ótima esposa e uma mãe maravilhosa para o Rapha!
Quanto às trouxinhas... que delícia hein? E que capricho ao forografá-la!! Tudo lindo!
Beijos

Anónimo disse...

Eliana, eu sei o quanto faz falta a presença da mãe. Eu perdi a minha muito cedo, vítima de câncer.
Mas o que importa é o presente, como todas as meninas já disseram aqui. Todas nós temos certeza que aprendeu bem o conceito de família, já que é uma ótima esposa e uma mãe maravilhosa para o Rapha!
Quanto às trouxinhas... que delícia hein? E que capricho ao fotografá-la!! Tudo lindo!
Beijos

Anónimo disse...

Obrigada por compartilhar sua história conosco, Eliana... Hoje quem tem sorte é o seu filhote, que tem uma SUPER mãe em casa! Adorei as trouxinhas, e sua apresentação está digna de uma chef de cozinha! Arrasou... ;o) Beijos!

Anónimo disse...

Eli, amei suas troxinhas! Vou fazer pra Brenda assim que puder. Sua história de infância não foi muito feliz, mas te fez forte para ser esta mãe maravilhosa e essa pessoa generosa e doce. Carinhos.

Anónimo disse...

eli, quanto capricho! fiquei comovida com a tua história! o rapha que é sortudo por ter uma super-mãe bacana como vc!
beijinhos, miki

Anónimo disse...

Que lindo prato, Eliana! Sua estória me surpreendeu e me comoveu! A Valentina realmente está de parabéns por trazer todas essas estórias à tona! Bjos

Anónimo disse...

Que lindo prato, Eliana! Sua estória me surpreendeu e me comoveu! A Valentina realmente está de parabéns por trazer todas essas estórias à tona! Bjos

Anónimo disse...

Que lindo prato, Eliana! Sua estória me surpreendeu e me comoveu! A Valentina realmente está de parabéns por trazer todas essas estórias à tona! Bjos

Anónimo disse...

Ah, Eliana, essa semana eu vou só me comovendo com as lembranças de todas, e você tem um jeitinho de falar as coisas que dá um nó no coração... Sempre penso em você como a mãe de todas nós, blogueiras de comida, pois mesmo tendo a mesma idade que a gente, você tem essa presença materna que nos aconchega. Beijinho.

disse...

é amiga, agora tem ai com você uma familia linda e maravilhosa, e o querubin pequenininho vai ter muito o que contar para os filhos.
Amei a ideia das trouxinhas, eu não conhecia ...

Anónimo disse...

Menina, que elegância de trouxinha!!! E a foto ficou tão chic...bem gourmet, como dizem. Seu post me levou às lágrimas mas depois fiquei pensando que apesar dos pesares, vç não parece ter se tornado uma pessoa amarga e pelo que escreve no blog parece ser feliz (assim espero). Daí me alegrei. Beijos.

Anónimo disse...

Seu filho realmente terá dificuldades com tantas coisas gostosas entre as quais escolher...

Anónimo disse...

Concordo com as queridas que passaram aqui antes: o querubim tem muita sorte e NÓS também, por "conhecer" você (mesmo que meio de longe..rs)

beijocas!

bia disse...

Vc me comoveu com a sua historia, e estas trouxinhas devem ser uma delicia ! bjs

Paula disse...

Oi Eli, fiquei abalada com o contraste das fotos com a história que vc contou...Ufa, a vida as vezes não é fácil, mas vc é uma batalhadora e está construindo um caminho muito bonito p/ a sua família. Parabéns! Outra coisinha, sua comida está cada vez mais gostosa, nunca tinha visto essas trouxinhas, adorei. Super beijo!

Anónimo disse...

Eli, que lindas as trouxinhas. estou apaixonada. A apresentacao é linda, a variedade de recheios é fantástica pois voce pode da muitas 'caras' ao prato. E estou com a Dadi quanto ao teu filhote, que vai ser 'entulhado'de recietas/lembrancas de voce. Tudo o que sempre vejo aqui é feito com muito amor.eu sinto a tua personalidade nos teus pratos. Que bom que voce esta participando querida!Obrigada.

Julia disse...

Nossa Eliana suas trouxinhas lembram muito a minha infancia! Eu adorava pegar a comida que fosse e fazer trouxinhas com a alface (que sempre tinha no almoco) levava horas para comer!!! Que saudades!

Sua historia é meio triste, mas tem um final feliz, olhe que super pessoa voce é!

Beijocas!

Eliana Scaramal disse...

Minhas amigas tão queridas, eu queria agradecer a todas pelo carinho, e dizer que eu sou realmente uma pessoa de muita sorte, com tanta coisa ruim que dizem que a internet traz pra mim ela só trouxe coisas boas, pessoas lindas e muito carinhosas, realmente eu não posso reclamar da vida, fico pensando no dia que iremos todas nos encontrar numa mesa bem grande cheia de coisas boas e dando muitas risadas. Eu realmente não me tornei uma pessoa amarga sou mesmo muito feliz. Quero deixar aqui um beijinho e um carinho em cada uma de vocês. Obrigada por tanto carinho!

Anónimo disse...

Eli, que história tocante a sua! Nunca comi essas trouxinhas, nem conhecia, mas deve ser delicioso para mãozinhas de crianças mesmo! bjs

ana disse...

Eli,

Eu também nunca tinha ouvido falar dessas trouxinhas, mas são lindas e, como tudo o que você faz, devem ficar deliciosas!!!

beijo,

Eliana Scaramal disse...

Regina obrigada, essas trouxinhas são ótimas pois você pode colocar o quiser dentro, é facil da criança comer.

Ana obrigada, você é muito querida!

Ana Benicia disse...

Um capricho essas trouxinhas.
Vou experimentar!
Bjo